f

Get in on this viral marvel and start spreading that buzz! Buzzy was made for all up and coming modern publishers & magazines!

Fb. In. Tw. Be.
Marketing 4.0: o uso inteligente de dados

Nossos hábitos de consumo já não são os mesmos de dez anos atrás, quem dirá de 50, ou 100 anos. E, se mudaram os produtos que compramos, a forma com que eles nos são apresentados também foi bastante alterada. Hoje, o centro das atenções do marketing está em proporcionar boas experiências ao consumidor. O marketing 4.0 desafia as marcas a envolverem o público, que tem cada vez menos tempo e é impactado por cada vez mais estímulos.

Para cumprir essa missão, no entanto, empresas precisam conhecer o seu público, entender quais são suas demandas e, para isso, contam com ferramentas de Big Data, Business Intelligence e Inteligência Artificial, que geram, cruzam e organizam dados, gerando informações valiosas para o marketing e elaboração de estratégia de vendas.

Em primeiro lugar, precisamos lembrar que vivemos na era pós-digital e o mercado da comunicação é um dos mais afetados pelo uso constante da tecnologia. Hoje, já não temos uma separação clara do que é on e offline, nossas ações são tão dependentes da internet que ficou praticamente impossível se desconectar totalmente.

E se é tão difícil ficar desconectado, isso quer dizer que a todo momento somos bombardeados por uma série de estímulos de diversas origens. Em contrapartida, enquanto navegamos em qualquer site ou rede social, colocamos dados à disposição de empresas, mesmo que de maneira inconsciente. Sem perceber, ao deixarmos pegadas digitais, compartilhamos com empresas dados preciosos para que elas nos ofereçam exatamente o que estamos precisando.

Um exercício fácil para entender o uso de dados compartilhados na rede: você acessa o site de uma loja de roupas, visita alguns modelos, não se interessa por nada e sai sem se cadastrar ou deixar qualquer contato. Imediatamente, começam a aparecer anúncios da mesma loja, por vezes dos mesmos produtos na timeline. Não são raros os e-mails do estabelecimento oferecendo, inclusive, cupons de desconto. Viu? Acontece conosco o tempo todo. E é apenas um dos exemplos de dados que estão na rede, sem nem mesmo nos darmos conta.

Mas, como o marketing consegue utilizar os dados?

A chave do sucesso do uso inteligente de dados está justamente em compreender o comportamento do consumidor. Mais que captar um grande volume de dados em um curto espaço de tempo, é fundamental usá-los a favor das marcas, com estratégias criativas, que alcancem o público de diversas maneiras, sem deixar de lado a personalidade da marca e sua mensagem principal.

De maneira resumida, Big Data é a reunião de diversos dados gerados a todo instante na rede e que, quando organizados e cruzados com outras fontes de informação, proporcionam insights preciosos para equipes de marketing. Acima de tudo, essa ferramenta é essencial porque fornece ao mercado informações diretas de seus consumidores, permitindo que empresas reconheçam em seu público exatamente quais são suas insatisfações, necessidades e desejos. 

Em outras palavras, os dados são recursos fundamentais para que as marcas conheçam seu público e possam, a partir disso, trabalhar a melhor maneira possível suas campanhas e estratégias de venda.

Mais que a simples captação de dados, seu uso inteligente, apoiado por estratégias de Business Intelligence traz às empresas uma vantagem competitiva enorme no mercado. Isso porque ao conhecer seu cliente, é muito mais fácil encontrar a maneira certa de assumir a personalidade da marca e sustentar suas crenças.

O processo de introduzir o uso inteligente de dados no planejamento de marketing, no entanto, exige atenção e dedicação. Profissionais de comunicação e tecnologia, especialmente ligados às martechs são fundamentais neste processo e contribuem para a execução de planos bem estruturados e otimizados.

Valor, propósito e personalidade da marca

Outra tendência dos hábitos de consumo dos últimos anos é o fato de que o público tem, cada vez mais, buscado por marcas que compartilhem dos mesmos valores e visões de mundo. Se apostar no uso de dados e plataformas de Inteligência Artificial e Big Data pode agregar lucro e valor às marcas, o mesmo não acontece se seu uso não tiver propósito. 

Por isso, é fundamental que as empresas mostrem sua personalidade, humanizem sua comunicação e utilizem seus canais de forma muito mais atraentes que apenas simples vitrines para seus produtos e serviços.

Uma vez que as marcas conhecem o comportamento do consumidor, fica mais fácil de demonstrar a sinergia com seu estilo de vida. Em outras palavras, se o uso de dados não for pensado estrategicamente, todo o esforço e verba irão pelo ralo.

Postar um comentário

You don't have permission to register